Pesquise seu animal

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Estrela-do-Mar



Estrela do mar Almofadada (Oreaster reticulatus)


As estrelas-do-mar podem ser encontradas em quase toda costa dos mares do mundo inteiro, principalmente em praias rochosas e ao redor de pilares de portos. Seu corpo pode ser liso, granuloso ou com espinhos, além de ser duro e rígido devido ao seu endoesqueleto. Apesar disso, o animal consegue dobrar-se e girar os braços quando se movimenta ou quando seu corpo se encontra em espaços irregulares, entre rochas e outros abrigos. Várias espécies vivem desde as linhas de maré até profundidades consideráveis, na areia ou no lodo. Seu corpo consiste em um dico central e cinco raios (braços) afilados, tendo uma simetria pentarradiada.

Estes animais podem ter entre alguns centímetros e um metro de diâmetro (Pycnopodia). Na superfície superior de algumas espécies há espinhos calcários, os quais fazem parte do esqueleto. A respiração é feita através de trocas gasosas pelos pés ambulacrários. Brânquias dérmicas (pápulas) pequenas e moles projetam-se da cavidade do corpo entre os espinhos para a respiração e excreção. Ao redor dos espinhos e das pápulas há pedicelárias em forma de pinça, que mantém a superfície do corpo limpa e auxilia na captura do alimento.

                                                                                      Estrela-do-mar Vermelha (Echinaster sepositus)

A estrela-do-mar não possui lanterna de Aristóteles (aparelho semelhante a uma rádula com cinco dentes calcários, presente no ouriço-do-mar) e por isso não podem mastigar os alimentos. Para se alimentar lançam o estômago pela boca. É dotada de sistema digestivo completo, o ânus é uma abertura pequena próxima ao centro da superfície superior e nas proximidades da placa madreporita, que atua como um captador de água, necessária para o funcionamento do sistema ambulacral ou sistema hidrovascular . A boca está no centro da superfície inferior, ou oral. Estes animais movem-se usando a retração e a distensão de seus pés ambulacrários. Um sulco ambulacrário mediano, orlado de espinhos, estende-se ao longo da superfície inferior de cada braço e dele aparecem muitos pés ambulacrário. Na ponta de cada braço há um tentáculo táctil e uma mancha ocelar sensível à luz.

Curiosidades:

- As estrelas-do mar não possuem cérebro, o seu sistema nervoso é ventral e ganglionar
- Existem cerca de 1.800 tipos de estrelas-do-mar conhecidas
- A semelhança entre o homem e a estrela-do-mar é que ambos são deuterostomados, ou seja, o blastóporo (abertura que serve de comunicação na fase embrionária, pondo em contato a a cavidade digestiva com o meio externo) da origem ao ânus, e não à boca como os protostomados.
- Quando as estrelas-do-mar quebram um braço, elas conseguem regenerar um outro criando até uma nova estrela-do-mar ou um braço mais resistente. característica que está presente tem todos os equinodermos

Alimentação: Alimentam-se de moluscos, crustáceos e vermes tubícolas. Algumas alimentam-se de matéria orgânica em suspensão. Animais pequenos e ativos, até mesmo peixe podem ser capturados pelos pés ambulacrários e pedicelárias e levados à boca. São conhecidas pelo seu apetite e pela sua estratégias de alimentação. As espécies carnivoras predam sobre esponjas, bivalves, caranguejos, corais, poliquetas e outros equinodermos. Algumas são necrófagas, alimentando-se de peixes e invertebrados mortos, outras ainda são detríticas alimentando-se de partículas em suspensão.

                                                                                                          Estrela-do-mar (Narcissia trigonaria) 
                                                                                                                        Ameaçada de extinção                                                                                                              
A eversão ou desenvaginação do estômago durante o processo alimentar é característico das estrelas carnívoras: No caso dos bivalves, a estrela-do-mar coloca-se sobre a presa e com a força dos seus braços e dos seus pés ambulacrários exerce uma pressão crescente sobre as valvas do bivalve cujo músculo adutor ao fim de algum tempo se cansa e relaxa. Essa força exercida pela estrela para abrir a concha do bivalve pode atingir 1,3kg

Com uma abertura minima de 0,1mm a estrela everte seu estômago para o espaço criado pela abertura das valvas, que então envolve as partes moles do corpo do bivalve e inicia a inicia a digestão propriamente dita. Após a alimentação o estômago é recolhido por contração e relaxamento dos músculos do corpo.

Reprodução: Óvulos e espermatozoides são lançados na água, onde ocorre a fecundação externa. A clivagem é rápida, total, igual e indeterminada. A larva originada possui simetria bilateral e sofrerá no processo de seu desenvolvimento a metamorfose mais complicada para se transformar num adulto de simetria pentarradial

Algumas estrelas têm a capacidade de se reproduzirem assexuadamente por fissão, um processo de divisão do corpo que resulta em novos indivíduos completos e funcionais geneticamente semelhantes à estrela-mãe. Essa reprodução ocorre quando uma estrela se fragmenta, voluntariamente ou não, perdendo um dos seus braços com cerca de 1/5 do disco central. A estrela-mãe regenera o braço perdido e o braço perdido tem a capacidade de regenerar uma nova estrela-do mar



   Estrela-do-mar Cometa (Linckia guildingii)
                   Ameaçada de extinção
A importância ecológica das estrelas-do-mar, é bastante considerável devido ao seu papel de predador de topo de cadeia alimentar: Se dizimadas, podem alterar a composição das espécies de uma zona intertidal ou de qualquer nicho ecológico, podendo provocar sérios danos em recifes de coral

Ameaças: A importância econômica das estrelas-do-mar é considerável, principalmente pelos prejuízos provocados pela voracidade destes animais que são considerados pragas na ostricultura e nas culturas de outros bivalves, sendo necessário sua remoção manual para evitar prejuízos elevados. Em determinados países, por exemplo na Dinamarca, faz-se o aproveitamento das estrelas removidas para ração animal de aves

Outro aspecto econômico das estrelas é a sua comercialização como adornos ou como material biológico para instituições de ensino. Esta prática resultou num drástico declínio de algumas espécies. Em inúmeros países existem muitas espécies de estrelas-do-mar ameaçadas de extinção devido à sobre-exploração dos estoques principalmente devido à apanha para o mercado de adornos ou para mercado de aquariofilia. Nesses países como por exemplo no brasil, a apanha dessas espécies é atualmente proibida. A poluição e destruição do habitat também contribuem para a dizimação de algumas espécies

                                         
                                     

13 comentários:

  1. Quanto tempo ela sobrevive fora d'agua??

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Elas se alimentam de presas fixas ou que se movem lentamente, como os corais, moluscos, crustáceos e até mesmo alguns peixes...

      Excluir
  3. qual a principal caracteristicas do grupo que ela pertence

    ResponderExcluir
  4. Qual a relação da Estrela-do-Mar com o ambiente?

    ResponderExcluir
  5. respostas erradas!!!!

    ela nao pode ficar fora da agua pois sofre com bulimia , come apenas algas, estrela vermelha so come peixe qdo morto....

    ResponderExcluir