Pesquise seu animal

sábado, 21 de janeiro de 2012

Medusas Lua

(Aurelia aurita)




Medusas lua variam entre 5 e 40 cm de diâmetro. Elas podem ser reconhecidas por sua coloração delicada e requintada, muitas vezes nos padrões de manchas e estrias. Seu comportamento depende de uma série de condições externas, em particular no fornecimento de alimento. A Aurelia nada através de pulsações da parte superior do animal, em forma de sino. A natação, entre suas funções, serve para manter o animal perto da superfície da água ao invés de progredir através dela. Nadam na horizontal, mantendo o sino perto da superfície em todos os momentos. Isso permite que os tentáculos sejam espalhados sobre a maior área possível, facilitando a captura de alimento.
O músculo coronal permite que o animal pulse, a fim de mover-se. Impulsos de contração são enviados por meio de redes nervosas. A medusa lua controla suas pulsações, como a taxa de oxigênio na água diminui, o mesmo acontece com a taxa respiratória das águas vivas


Habitat: Oceano Atlântico, Oceano Pacífico, Oceano Índico. A Aurelia aurita são encontradas perto da costa, em águas quentes e tropicais em sua maioria (mas elas podem suportar temperaturas tão baixas quanto  -6 graus Celsius e máxima de 31 graus Celsius). Elas são predominantes em costões e oceanos. Seu habitat inclui águas costeiras de todas as zonas e ocorrem em grande número. São conhecidas por viver em águas salobras, com baixa quantidade de sal.
A temperatura ideal para elas é de 9 a 19 graus



Alimentação: A medusa lua é carnívora e se alimenta de zooplâncton. Seus alimentos primários incluem pequenos organismos do plâncton tais como moluscos, crustáceos, larvas de peixes, copépodos, rotíferos, nematóides, poliquetas jovens, protozoários, diatomáceas e ovos. Elas também foram observadas se alimentando de hydromedusas pequenas e ctenóforos. Os alimentos são coletados principalmente sobre a superfície do animal, onde se vê envolvida em muco, os itens alimentares são então passados para as margens pela ação flagelar. Eles então mudam-se novamente pelas correntes flagelar, juntando-se a oito canais separados, que são únicas para essa espécie de água viva. Esses canais se ramificam e correm para o estômago


Reprodução: A maturidade sexual da Aurelia aurita ocorre comumente na primavera e no verão. Seus ovos se desenvolvem em gônadas localizadas em bolsões dos braços orais. Suas gônadas são comumente a parte mais reconhecível do animal, por causa de sua coloração profunda e visível. Suas gônadas estão perto do fundo do estômago. Machos e fêmeas são distintos e a reprodução é sexual


                                         



Nenhum comentário:

Postar um comentário